HOJE (Tom Jobim)

Publicado em Poema Musicado
 
Hoje depois que o tempo passou
Meu coração palpitou
O olhar, o horizonte fitou
Saudade, no rosto brotou,
Lágrima no canto nasceu,
Não segurou...

Rolou...
Feito cascata de amor,
(Saudade que o peito e o tempo não apagou)
E eu, menino no barco do tempo, me entreguei....

Com imagem de Copacabana
Cristo Redentor, Arpoador,
Com toda a orla da clara,
Com toda a orla da gema
Com sorriso carioca no olhar
No jardim Botânico
Eu te encontrei!

Eras tu, Tom Maior Jobim, tão BRASILEIRO,
Que cantavas sorridente a caminhar!

Menino Poeta decente
Cante e conte a toda gente
Que a salvação do planeta
É amar!
É amar!
È amar!

Raiva, dor, sentimento de ódio =
Desamor
Desamor

Covardia é não ter coragem de deixar aflorar
O sentimento único, exclusivo de AMAR!

Covardia é não ter coragem de deixar aflorar
O sentimento único, exclusivo de AMAR!

Hoje...

 
<<voltar