Sou Maluco

Publicado em Segundo Livro - Para Sempre SE(R) Soldado do Amor
 

Se um dia me encontrares,
caminhando por uma estrada
solitário,
tentando encontrar não sei o quê,
porém, procurando lucidez para entender
coisas, situações tão simples, tão claras,
que o homem moderno, dito moderno,
há séculos insiste em não ver...

Não te preocupes, segue em frente,
Me deixa, me deixa caminhar...
Ah! Sou Maluco!
Normal assim não quero ser,
Viver olhando a fome do outro de frente,
E, indiferente, viver.

Eu sou maluco,
Normal assim não quero ser!
Botar atrás das grades alguém
que, de nossa ótica, roubou,
portanto, adjetivando-o de ladrão.
Roubou, sim, roubou para comer.

Ah! Sou maluco, pois não consigo,
Nem faço questão de entender.
Ver tanto intelectual
Viver, viver, viver...
Escrever, escrever, escrever...
e nada, nada mesmo, de positivo
no campo prático resolver.


Socorro! Socorro! Socorro!
Eu sou maluco. Ah! Ainda bem!
Normal assim, não quero ser.
 
<<voltar