Título: Para Se(R) Encontrar
Ano de Publicação: 1998
Edição:
Editora:
È um livro de POESIA, que tem como conteúdo e objetivo principal, a busca do aprimoramento das relações das relações que é com (ser)teza a relação humana! Procuro sempre na minha escrita poética literária, uma comunicação direta com o leitor, usando uma linguagem simples, objetiva e ângulos de abordagem que leve o leitor amigo a uma reflexão. Em sintonia com a ALTO, tive a percepção e a partir daí, nasceu a POESIA DO SER! Assim sendo, sempre que existir alguma palavra coma grafia CER, seja no início, no meio ou no final, substituo o C pelo S, exatamente para chamar atenção para o ser em geral e também o SER HUMANO, que passei a denomina-lo de ESSE – E – ERRE, nascendo assim, no mínimo uma forma diferente e particular de escrever, denominada de a FILOSOFIA DO ESSE-E-ERRE! Ouvia e ouço ainda muito, infelizmente, em minha trajetória do cotidiano, que lançamento de livro não tem motivação, é uma coisa parada, até sem vida – sem uma dinâmica que o atraia. Assim sendo, na busca de conquistar o público de 08 a 80 anos, no hábito de ler e escrever, procurei, didática e pedagogicamente falando, imprimir a partir daí, uma dinâmica motivacional em meus lançamentos, que passo a relatar a seguir: RECEBER É UMA ARTE, OU RECEBE-SE BEM, OU NÃO RECEBE-SE, é assim que penso e pratico, portanto já neste primeiro lançamento, elaborei um cerimonial totalmente diferente e roteirizado por mim, cuidado se posso assim dizer, dos mínimos detalhes, para receber muito bem e eliminar, se possível pra todo o sempre, este estigma sobre lançamento de livros. Vamos lá, dia 02 de setembro de 1998, Palácio Cruz e Sousa, recepcionei os convidados para este lançamento da seguinte forma: Uma das principais inovações foi levar brinquedos de infância, tais como peteca, pião, bilboquê, cinco marias etc., exatamente para despertar nas pessoas o lado lúdico e mostrar com clareza, a relação direta entre a POESIA e os brinquedos de infância. Levei um violonista, um tecladista e um flautista, e também atores e atrizes para teatralizarem os meus poemas.